Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/24887
Título: A RESSOCIALIZAÇÃO DO PRESO NO ATUAL SISTEMA PENITENCIÁRIO BRASILEIRO
Autor(es): AZEVEDO, THAILYN BIGATE DE
Tipo: Trabalho de Conclusão de Curso
Palavras-chave: Ressocialização do Preso;Sistema Carcerário Brasileiro
Data do documento: 2019
Resumo: O tema ressocialização é abrangente em vários aspetos e é através dele que pode-se analisar o comportamento dos indivíduos mediante as leis impostas. A atual sociedade reflete de forma clara a crise que se encontra o sistema penitenciário brasileiro. O presente trabalho teve o objetivo de abordar a dificuldade que envolve o sistema ressocializador, o comportamento social e as políticas públicas aplicadas ou não para alcançar uma ideal de reintegração social. Por tal motivo, objetivou-se analisar a atual estrutura do sistema penitenciário brasileiro com o fim de discutir e viabilizar meios mais eficazes do dever prestacional do Estado na promoção adequada de condições de reabilitação moral e social do preso, reduzindo assim os riscos de reincidência. Portanto, abordar o presente tema, significou encarar a crise carcerária existente e buscar soluções para que a prática da Lei de Execuções Penais combinada com a Carta Magna desenvolva condições que acarretem um recolhimento temporário, ideal e que não fira a dignidade e os direitos do recluso. Este recolhimento deve ser suficiente para o individuo preparar e reestruturar-se para o convívio social através de programas profissionais e educacionais que sejam eficazes na sua missão de reintegrar.
URI: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/24887
Aparece nas coleções:Trabalhos de Conclusão de Curso

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
THAILYN_BIGATE_DEFESA.pdf
  Restricted Access
932.72 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.