Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/29571
Title: ESTUDO PROSPECTIVO TOMOGRÁFICO, CEFALOMÉTRICO E EM MODELOS DIGITAIS DAS ALTERAÇÕES DENTOESQUELÉTICAS DECORRENTES DO ARCO DE EXTRUSÃO
Authors: VASCONCELOS, JULIANA DE BRITO
Type: Tese
Keywords: Mordida aberta;Ortodontia interceptora
Issue Date: 2020
Abstract: Avaliar os efeitos dentoesqueléticos ocasionados pelo arco de extrusão no tratamento precoce da Mordida Aberta Anterior por meio de Tomografia Computadorizada de Feixe Cônico (TCFC), Radiografias Panorâmicas, Teleradiografias e Modelos Digitais, e verificar utilizando fotoelasticidade a tensão gerada pela mecânica. Materiais e métodos: Uma amostra composta de 14 pacientes (8 pacientes do sexo feminino e 6 pacientes do sexo masculino, 9,17±1,03 anos) durante a dentição mista e apresentando Mordida Aberta Anterior (MAA) (-0,94±1,86mm) foi tratada com aparelho fixo e arco de extrusão. Para avaliação dos efeitos ocasionados pelo tratamento foram obtidos modelos digitais e TCFC em T0 (inicial) e T1 (final), a partir das quais foram gerados os exames radiográficos necessários. Nas imagens tomográficas, foram mensuradas extrusão, comprimento radicular e angulação dos incisivos superiores e molares. Já nos modelos digitais, foram avaliadas as alterações dentoalveolares e nas telerradiografias, as alterações dentoesqueléticas. Nas radiografias panorâmicas, o posicionamento e irrupção dos caninos. Em modelos fotoelásticos, foi analisada a tensão gerada pelo arco de extrusão na região dos incisivos superiores e molares. Para verificar a distribuição normal dos dados, foi utilizado o teste de Kolmogorov-Smirnov e para a comparação entre as fases inicial e final, para as variáveis quantitativas foi utilizado o teste “t” pareado. Para as variáveis qualitativas, foi instituído o teste de Wilcoxon. Para todos os testes foi adotado nível de significância de p<0,05. Resultados: Todos os pacientes apresentaram correção da MAA em um período médio de 7,79±2,58 meses. Na avaliação dos modelos digitais, foi observado um aumento do trespasse vertical (2,73mm), redução do trespasse horizontal (-1,65mm), perímetro (-3,03mm) e comprimento do arco (-2,92mm). A distância intermolares não apresentou diferença estatisticamente significante. Na avaliação tomográfica, foi observada uma extrusão significativa dos incisivos (2,31mm), acompanhada da sua linguoversão (-8,18º). Nos molares, ocorreu uma intrusão não significativa (-0,27mm) e uma inclinação significativa da coroa para mesial (11,49º). Um aumento significativo do comprimento radicular foi observado em todos os dentes avaliados. Na avaliação cefalométrica foi observada um aumento significativo do trespasse vertical (1,91mm), acompanhado da extrusão dos incisivos (1,94mm) e sua linguoversão (-6,15º). Uma intrusão (-1,01mm) não significante dos molares foi observada, bem como uma redução das medidas referentes à altura facial. Mediante avaliação das radiografias panorâmicas, foi observada melhora no posicionamento dos caninos, bem como a continuidade da sua trajetória de irrupção. Nos modelos fotoelásticos, uma homogeneidade de tensão foi verificada, variando de 1,25 a 1,5MPa. Conclusão: A utilização do arco de extrusão foi eficaz no tratamento precoce da mordida aberta anterior. Além da extrusão dos incisivos, promoveu a sua linguoversão, acompanhada da redução do trespasse horizontal. Porém, houveram efeitos colaterais, como a mesialização dos molares superiores.
URI: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/29571
Appears in Collections:Teses e Dissertações do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Odontologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DEFESA FINAL JULIANA COM FICHA .pdf9.91 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.