Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/32071
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorBARBAN, KAREN RAQUEL-
dc.date.accessioned2021-04-15T12:36:00Z-
dc.date.available2021-04-15T12:36:00Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.urihttps://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/32071-
dc.description.abstractO uso de hemoderivados em cirurgia cardíaca está relacionado com aumento da morbimortalidade. A transfusão de sangue tem sido considerada fator de risco para infecções e aumento de permanência hospitalar. Tornam-se imprescindíveis medidas específicas quanto a técnica de circulação extracorpórea e o procedimento operatório, com o objetivo da racionalização do uso de hemoderivados. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto do protocolo CARDIO-PUC em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca com circulação extracorpórea. Neste estudo foi realizada uma análise retrospectiva de prontuários de pacientes operados entre 1998-2015, comparando grupo 1 (n=675 pacientes) operados com CEC convencional, com grupo 2 (n=2100 pacientes) submetidos ao novo protocolo (CARDIO-PUC) de medidas (drenagem venosa assistida por vácuo, encurtamento dos tubos de circuito extracorpórea, redução do prime e autotransfusão com hemodiluição aguda normovolêmica). Os parâmetros avaliados foram: hematócrito; transfusão de hemoderivados; sangramento no dreno de tórax; necessidade de suporte inotrópico e por fim, tempo de internação UTI. Houve melhor resultado considerando parâmetros do pósoperatório para os pacientes do grupo 2; os valores do hematócrito eram iguais (p>0,05) entre os grupos no pré-operatório, entretanto, ao final do CEC, observou-se maior valor de hematócrito no grupo 2. Em relação a necessidade de hemoderivados observou-se que o grupo 1 recebeu uma média de 1,8 concentrado de hemácias enquanto que o grupo 2 necessitou de apenas 0,4 bolsas, diferença estatisticamente significante (p< 0,001). O sangramento do dreno de mediastino nas 24h iniciais mostrou que houve maior sangramento (p<0,01) no grupo 1 em comparação com o grupo 2. Considerando outros parâmetros do pós-operatório como uso de suporte inotrópico (p< 0,05) e tempo de internação em UTI (p<0,001) houve redução no grupo 2. A implantação do protocolo CARDIO-PUC associa-se a melhora clínica e benefício ao paciente.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.subjectHemodiluição normovolêmicapt_BR
dc.subjectCirurgia cardíacapt_BR
dc.titleAVALIAÇÃO DO IMPACTO DA IMPLANTAÇÃO DO PROTOCOLO CARDIO-PUC EM PACIENTES SUBMETIDOS A CIRURGIA CARDÍACA COM CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREApt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
Appears in Collections:Teses e Dissertações do Programa de Pós-graduação Stricto sensu em Biotecnologia e Inovação em Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Karen Raquel Barban.pdf754.66 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.